5.2.18

[ontem tentei]

ontem tentei
sair pra longe
do coração

hoje
fui mais eficaz:

usei-o como um zafu

2.2.18

[avisar o pássaro]

avisar o pássaro
sobre o céu

dizer que é azul e vasto
que envolve uma bola quase redonda
que não para nunca de girar

dizer que por mais que seja grande
ele tem um início e um fim
que o início se conhece bem
por habitar por anos e anos
mas que o fim é incerto e nunca
ninguém soube bem delimitar
quando se está no céu e quando
já se está no espaço

dizer que o céu é o espaço
e que o espaço é tão azul e vasto
quanto o mar

dizer que o céu é o mar
e que por mais que seja azul e vasto
e que envolva uma bola quase redonda
ele é muito menor que aquela outra bola
que brilha forte no meio do próprio céu

dizer tudo rapidamente
antes do pássaro
alçar vôo

29.1.18

crença muda

crer que no futuro
existirá você

crer que existirá
ao menos
eu

crer em nós

crer que o pensamento
que agora se constrói detalhado
seja na verdade
a lembrança do futuro

crer que as projeções
sejam já a vivência
que se guarda
em meia dúzia de fotos

crer no tempo cíclico

se permitir ir
e voltar

22.1.18

fitness

lembrar é como
exercitar
um músculo

sem uso
pode atrofiar
sem cuidado
até definha

aquele dia que ouvíamos a chuva
(forjada digitalmente)
me lembro os dois bíceps

aquele dia que testavamos perdão
em pleno colchão no chão
lembro o oblíquo externo

a voz alterada pra simular animais
disso eu lembro um pouco mais
vale logo as batatas da perna

por falar em batata da perna
disso eu me lembro por um trapézio
(que eu adorava massagear)

ainda assim
condenado que estou ao sedentarismo
tenho medo da fraqueza do corpo 
aquela fraqueza que permite
a invasão de um vírus
uma gripe que faz esquecer
o cheiro do outro

um médico me recomendou repouso

amanhã
começo a ir na academia

21.1.18

causa das coisas

a causa das coisas
precisa se manter
velada

deixada
naquele canto sem luz
a mercê do barulho do nada

atada
ao início dos livros
na página não numerada

condenada
ao sigilo dos asmáticos
em troca apenas do respirar

uma inação precisa 
que assegure o que resta
da nossa dignidade

20.1.18

futuros opostos

há que ter coragem
pra chegar ao fim
do abandono

(aquele ato mágico
de arrancar de si
a presença do outro)

mas basta apenas
configurar com pinça
uma pequena variação:

trocar os sentidos dos caminhos que se cruzam

13.1.18

agora-agora

acreditar que aqui
existe
é duvidar
de agora

lá fora
é sempre tudo igual:

marcar a hora
de chegar
a lugar nenhum

o tempo não está nem aí pro espaço